Cordelirando...

. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
Neste blog você encontrará alguns cordéis de Salete Maria, bem como notícias acerca de sua produção e seu diálogo com outros artistas
... . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .

Lugar de Mulher, recitado por Salete Maria

terça-feira, 17 de junho de 2014

Portal Popular da Copa publica cordel de Salete Maria

O site Portal Popular da Copa publica o mais recente cordel de Salete, intitulado VAMOS PRA RUA A MIL (POIS PREJUDICA UM BRASIL A COPA DO CAPITAL)!

Confiram clicando AQUI

domingo, 8 de junho de 2014

Cordel de Salete Publicado no Blog "Atingidos Pela Copa"



O cordel  VAMOS PRA RUA A MIL (POIS PREJUDICA O BRASIL A COPA DO CAPITAL) foi publicado no blog Atingidos Pela Copa.
Neste cordel a poeta GRITA denunciando o que realmente há por trás dos mandos e desmandos da FIFA alertando a todos e a todas que esta copa não é para todo mundo!
Confira:

http://atingidoscopa2014.wordpress.com/2014/06/07/cordel-vamos-para-a-rua-a-mil-pois-prejudica-um-brasil-a-copa-do-capital/

sexta-feira, 6 de junho de 2014

VAMOS PRA RUA A MIL (POIS PREJUDICA UM BRASIL A COPA DO CAPITAL)

Quem mora neste país Sabe que ele é dividido Entre quem vive feliz E quem vive espremido Por isso é que um Mundial Que agrada ao capital A tantos causa gemido
Há um Brasil que é só festa Outro que é necessidade Um que tem gente honesta E outro que é só vaidade Há um Brasil contemplado E outro prejudicado Esta é a realidade
Eu sou uma brasileira Que ama muito o Brasil Mas penso que é asneira Ficar sem dar nem um pio Sobre as iniquidades E as muitas perversidades Que a dona FIFA pariu
Nada tenho contra a Copa E gosto de futebol Mas já morei em maloca E sei onde nasce o sol Vejo a desigualdade No campo e na cidade Clara feito um arrebol
O que muito me incomoda É o estado de exceção Que está virando moda Dentro da nossa nação Que virou país-empresa Que destrói a natureza E a vida do cidadão
Sei que a FIFA tá mandando Porque o governo permite Mas as ruas tão gritando Porque a gente resiste Quem aprendeu a lutar Não se deixa fascinar Pelo jogo das elites
E eu que sou feminista Das que não faz concessões Ao lucro capitalista E às regras dos patrões Sei que esse megaevento Para mim não tem assento Dentro ou fora dos portões
Me somo a quem não se cala Diante das exclusões Uso sempre a minha fala Contra os velhos tubarões Que roubam o nosso povo E fazem discurso novo Em tempos de eleições
E aqui eu me refiro A políticos diversos Que vivem nos dando giro Enquanto estão imersos Nos interesses da FIFA Que nosso direito rifa Com discurso controverso
Entendo que o Mundial Que o país vai sediar Já deu mais do que sinal Do rombo que vai deixar Pra aquela população Que para ganhar o pão Rala até não aguentar
Afinal todas as obras Que a gente tá custeando Estão cheias de manobras E ninguém tá explicando Por que tanta imposição Contra a Constituição E contra quem tá lutando
Muito dinheiro investido Pra garantir repressão O povo virou bandido De crime de opinião E governos de toda cor Legitimam o terror Em ano de eleição
Quem anda pela cidade E sabe o que é o povo Conhece as necessidades Dessa vida arroz com ovo Onde falta moradia Água, gás e energia Saúde e transporte novo
Quem faz parte do Brasil Que pega filas gigantes Sabe que está barril E o quanto é revoltante Ver famílias despejadas E suas casas derrubadas Por ordem dos arrogantes
E a falta de transparência Sobre muitas decisões? Além das incoerências Sobre as (i)licitações E o que foi prometido Pugnado e defendido Vai ter inaugurações?
Mobilidade urbana Ninguém sabe, ninguém vê E ninguém mais se engana Com o que vão nos dizer Se é com nosso dinheiro Então todo brasileiro Pode sim se intrometer
Para cada viaduto Arena e aeroporto Uma família de luto E um operário morto Um direito violado Um choro desesperado E um olhar absorto
Os abusos são gritantes Contra grupos vulneráveis Prisão de manifestantes Remoções inaceitáveis Mulheres prejudicadas Ofendidas, degradadas Feito produtos vendáveis
A FIFA manda em tudo Com aval dos governantes Extrai um lucro graúdo Mas explora estudantes Que trabalham sem ganhar Para a FIFA não pagar Imposto ou lucro cessante
A FIFA fez exigências Ferindo a soberania Usurpou as competências Próprias da democracia Impôs a sua vontade Quebrou a legalidade E contou com a covardia
Fez do Brasil um otário Que pagou pra se ferrar Matou alguns operários E não vai indenizar Os pobres dos dependentes Que não verão nem os dentes Dos caras que vão jogar
A FIFA e seu patrocínio Não se importam com você Que exerce o raciocínio E tem algo pra dizer Contra as violações Preconceito e exclusões Que ela sabe promover
A FIFA não se interessa Por quem foi desalojado Pois ela tem muita pressa Para levar seu bocado E deixar o sofrimento A exclusão e o tormento Como seu maior legado
A FIFA só tem apreço Por quem compra seu ingresso Ela sabe o endereço Dos ricos lá do Congresso Vai jantar com a presidenta Que também não tá isenta Desse grande retrocesso
A FIFA é o capital Que não respeita humano É a dona da Lei Geral E desse jogo insano Que envolve todo o poder Que autoriza prender Quem atrapalhar seus planos
A FIFA tá nem aí Pra exploração sexual Ela mandando aqui Pode é haver bacanal Racismo e exclusão Sofrimento e opressão Nada disso lhe faz mal
A faxina das cidades Tirando o povo da rua Toda essa iniquidade Com minha vida e a sua Conta com a conivência Da corja de excelências Que manda sentar a pua
É por isso que eu digo Através desse canal Mesmo correndo perigo De me descerem o pau Vamos pra rua a mil Pois prejudica um Brasil A copa do Capital
Salete Maria Salvador-BA