Cordelirando...

. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
Neste blog você encontrará alguns cordéis de Salete Maria, bem como notícias acerca de sua produção e seu diálogo com outros artistas
... . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .

Lugar de Mulher, recitado por Salete Maria

segunda-feira, 2 de novembro de 2020

CONTRA ESSA PANDEMIA, UMA VACINA DE AMOR!


 Estamos há sete meses

Vivendo uma pandemia

Que surgiu entre chineses

Mas hoje está na Bahia

No Brasil e em toda parte

E nós usamos a arte

Pra falar desta agonia

 

São muitos infectados

Por este mundão afora

Tantos seres dizimados

E essa coisa só piora

Tantas mortes evitáveis

Discursos abomináveis

Nesta tão terrível hora

 

Há muita expectativa

Muita notícia veloz

Pra que a gente sobreviva

Neste sistema atroz

É preciso compaixão

Ética e comunhão

E união entre nós

 

Eis porque neste Sarau

Me somo a outras vozes

Num coro internacional 

Contra tiranos-algozes

Que não querem solução

Porém mais competição

Entre gigantes ferozes

 

Quando falam em vacina

Ou outro medicamento

O cifrão vem na retina

Dos que mandam no momento

Visando acumulação

Poder e mais opressão

Sobre todo um estamento

 

Assim é que o capital

Se alimenta e perdura

E numa crise mundial

Quer aumentar a gordura

Azeitando seus grilhões

Gerando mais exclusões

Sem dó, afeto ou ternura

 

E os que não cuidam da Terra

E de tudo que ela dá

Os que promovem a guerra

E todo o seu mal-estar

Buscam ter o monopólio

De todo esse portifólio

Que pode nos ajudar

 

Correm pra ser o primeiro

País que irá lucrar

Ou mesmo o pioneiro

De quem se pode comprar

Os produtos do saber

Para depois revender

Para quem pode pagar

 

Por isso a ONU precisa

Logo se pronunciar

De maneira bem concisa

Correta e sem vacilar

Contra controle e patente

E por um mundo decente

Onde a paz possa reinar

 

Eis a razão da Campanha

Com apelo mundial

Se opondo à barganha

E ao jogo comercial 

Em nome de toda vida

Pra termos uma saída

De cunho ambiental

 

Pois a saúde é direito

Que deve ser respeitado

E hoje todo sujeito

Tem que ser considerado

Nós, os cidadãos da Terra,

Das águas, matas e serras

Queremos ser escutados

 

Já que queremos vacina

Global, gratuita e pra todos

E o melhor da medicina

Sem ambição e engodos

Sem sofisma ou fantasia

Mas com muita alegria

Compromisso e denodo

 

Assim podemos dizer

Que não há nenhum favor

Pois o nosso bem-viver

Foi a Fonte quem gerou

Pra melhorar nossos dias

Contra essa pandemia

Uma vacina de amor!

 

Salete Maria

Salvador/BA, 05/10/2020